Google torna o uso do “notch” vulgar com o Android P

Google torna o uso do “notch” vulgar com o Android P

Todos nós já estamos a par do assalto do famoso “notch” aos smartphones. Começou no Essential PH1, depois foi o iPhone X e, nos últimos tempos, tem vindo a surgir em quase todos os topos de gama de muitas marcas de telefones Android.

Eis alguns do equipamentos Android com a famosa monocelha: Asus Zenfone 5, Ulephone T2 Pro, Leagoo S9, Doogee V, Huawei P20 e P20 Plus, OnePlus 6, OPPO R15, LG G7, Xiaomi Mi MIX 2s. Corremos o risco de nos termos esquecido de algum.

O problema que se coloca é que o Sistema Operativo (Android) não foi desenhado para aquele tipo de ecrã com monocelha. Ou pelo menos não tinha sido até agora.

O recém-anunciado Android P vai ter suporte para aquele “corte de ecrã”, chamado de “notch” ou também de monocelha.

Brevemente os desenvolvedores poderão testar como as suas aplicações “full-screen” funcionarão com ecrãs com monocelhas graças às ferramentas que a Google disponibiliza. Isto será útil porque algumas das interações com ecrãs com monocelhas têm sido horríveis, devido principalmente ao software que não estava preparado para estes “cortes” no ecrã. Por vezes a hora ou nome da rede não eram visíveis, especialmente quando se puxava a barra de status para baixo.

A partir de agora o ónus passa a estar do lado dos desenvolvedores!

Sobre o autor

Jorge
Desde muito jovem comecei a gostar de tecnologia. O interesse e curiosidade sobre tudo o que é tecnologia têm-me acompanhado sempre. Há cerca de 20 anos que trabalho profissionalmente nesta área. Como Confúcio disse, "Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida".

Comentar

O seu endereço de email não será publicado.


*